Produção de inhame aquece mercado em Alvorada

Tamanho da letra:  

{ 14/05/2010 }


Rondônia tem se destacado, no mercado internacional, como um dos principais produtores de inhame. Produzidos na região de São Francisco do Guaporé e Alvorada do Oeste o produto está sendo vendido para o nordeste e exportado para vários países. A demanda levou agricultores a investir mais na produção e já gerou um incremento na economia local, na ordem de 700 mil reais.
 
A produção de inhame na região de Alvorada do Oeste cresceu assustadoramente em menos de um ano. Com uma produção restrita a oito alqueires de terra plantada em 2009, hoje 50 alqueires são dedicados a produção dessa cultura. Segundo Antonio De Assis, gerente da Emater local, “O que motivou o aumento de produção foi a demanda do mercado e o histórico de São Francisco que há dez anos, cultiva inhame”.
 
A produção, tanto de Alvorada do Oeste, como de São Francisco do Guaporé está sendo totalmente absorvida pelo nordeste, mais especificamente para a região de Sergipe, de onde é exportada para outros países, a exemplo da Holanda. “Para este ano, somente em Alvorada do Oeste, prevê-se uma produção de 1.200 toneladas, que já começa a ser colhida agora no início de junho    , salienta De Assis. A arroba de inhame está sendo vendida a 20 reais a arroba (15 quilos), um preço justo, considerando-se o uso de todas as pratica corretas. Esse valor dá um lucro de aproximadamente de seis a sete mil reais ao agricultor por hectare, ressalta De Assis. O gerente conta ainda que, devido a grande demanda apresentada no mercado, já existe comprador do nordeste instalado na região, somente para adquirir o produto.
 
Além de aquecer a economia local, que este ano teve um incremento em torno de 700 mil reais aproximadamente, a produção de inhame em Alvorada do Oeste tem aberto os olhos de agricultores de outros estados. Recentemente, cinco agricultores de Rio Branco, capital do Acre, deslocaram-se até o município para visitar as lavouras, comprar sementes e promover o intercambio com os agricultores locais. “O primeiro contato foi entre os próprios agricultores. Um dos acreanos tem parentes em Rondônia e articulou o encontro”, conta De Assis. Desse contato surgiu uma perspectiva de a Emater esboçar um plano de capacitação para ser levado aos agricultores do Acre.
 
Outro resultado dessa nova alternativa está na melhoria de renda para o agricultor familiar e no número de agricultores que estão investindo em suas áreas. Com a perspectiva de mercado aberto para consumo do inhame, os agricultores estão mecanizando suas áreas. “Já são seis o número de tratores adquiridos através do Pronaf Mais Alimento – um financiamento incentivado pelo Governo Federal, com o intuito de estimular o crescimento da agricultura familiar no País. Esse financiamento permite que o agricultor possa financiar até o limite de100 mil reais, a juros de dois por cento ao ano e com prazo de carência de três anos e 10 para pagar. “Esses tratores são específicos para atender a agricultura familiar, e este ultimo vai atender uma família com mais de 10 pessoas, onde todas trabalham com a cultura do inhame”, conclui o gerente da Emater.
 
Wania Ressutti
Jornalista - DRT-959/RO
EMATER-RO








Últimas Notícias

» { 11/12/2014 } Banco da Amazônia e Emater liberam 270 mil reais em crédito para Novo Horizonte
» { 11/12/2014 } Agricultores reassentados recebem prêmio da Santo Antônio Energia
» { 11/12/2014 } Emater aponta crescimento do setor produtivo